Vivemos num mundo globalizado, onde mudanças acontecem rápido, o que torna o ambiente empresarial muito mais competitivo. A sobrevivência exige uma liderança eficaz, capaz de transpor todos os obstáculos e desafios, seja nas empresas, nas comunidades ou em qualquer lugar em que possa estar inserida.

Liderança não é gerenciamento. Gerenciar é, simplesmente, fazer um grupo funcionar para que sejam atingidos determinados objetivos. Liderar é mais do que isso, é a habilidade de exercer influência e ser influenciado pelo coletivo, através de relações interpessoais adequadas para a realização de um ou mais objetivos comuns a todos os participantes. Tem conexão com aspectos de sustentação das atividades práticas e atitudes, ampliando a capacidade de cada integrante, favorecendo o seu próprio crescimento e do grupo.

É indispensável realizar um esforço para ampliar a visão das empresas no sentido de acreditar que os seus gestores, além das qualificações de gerenciamento, precisam aprimorar as qualidades de líder, a fim de que a eficiência e a eficácia sejam alcançadas e o êxito seja um fenômeno concreto.

As empresas do futuro dependerão cada vez mais da criatividade de seus membros para sobreviverem. E os grandes líderes dessas empresas serão aqueles capazes de manter talentos, motivar e promover a liberdade para realizarem seu melhor e um trabalho cada vez mais imaginativo.

Gina Borralho